Blog

Blog

Curando as Emoções

June 19, 2018

Um diálogo:

“Aceite o que é”.

“Não posso. Eu me sinto agitado e irritado por causa disso”.

“Então, aceite o que é”.

“Aceitar que eu estou agitado e irritado? Aceitar que não consigo aceitar”?

“Isso mesmo. Aceite a sua não-aceitação. Entregue-se à sua não-entrega. E veja o que acontece”.

Eckhart, O Poder do agora

 

“São tantas emoções”, já dizia o cantor popular. Experimentamos as emoções no nosso corpo, não na nossa mente. A emoção é, antes de tudo, um estado físico. Não falamos do medo de ficar com o coração na boca? Ou da alegria de sentir o coração leve?

Existe uma ligação entre o cérebro e o coração, uma ligação física entre o nosso cérebro emocional, chamado de límbico, e o nosso coração. A coisa funciona assim:

Temos um cérebro chamado cognitivo, que é educado, racional, diplomático, controlador, e um cérebro límbico, primitivo, tipo “homem das cavernas”, que fica ali no fundo, em guarda.

 

Quando ele percebe um perigo ou uma oportunidade excepcional – um inimigo ou uma pessoa atraente -, ele aciona um alarme. Em milésimos de segundo, ele cancela todas as operações e interrompe todas as atividades do cérebro cognitivo. Isso continua acontecendo hoje, com o homem e a mulher modernos, então nos descobrimos emotivos demais ou irracionais.... Um ataque de ansiedade ou pânico nasce desse jeito.

 

As imagens que vemos e os sons que ouvimos são o botão vermelho das nossas emoções. Cuidado com as imagens que você deixa entrar e com as palavras e sons que penetram em você. Por isso, mantras são tão importantes, para acalmar esse cérebro selvagem. Por isso, contemplar a natureza é tão calmante. E não adianta pensar que você pode cultivar o controle de tudo através do cérebro cognitivo. É como jogar lixo embaixo do tapete.

 

Uma hora, ele acaba aparecendo e aí o caos se instala. O importante é ter inteligência emocional, desenvolvendo a harmonia entre esses cérebros, meditando. Meditar não é sair deste mundo; é entrar profundamente nele. É estar presente, com um sorriso interior, respirando e conectando com nosso coração, no dia-a-dia no supermercado, no carro, no trabalho, com nossos filhos, com nosso amor.

 

Dizem os budistas que podemos transformar emoções negativas em virtudes. Que a energia da raiva é a mesma que a do amor, só que num pólo diferente; que a energia da inveja é a mesma da admiração; que a energia do medo é a mesma que a da coragem; que a energia da ignorância é a mesma da sabedoria...

 

É como uma alquimia: o nosso ouro interior surge quando nos aceitamos, sem críticas, e confiamos na nossa natureza pura, na nossa Luz. O segredo é aceitar nossa natureza, que pode estar encoberta, mas está lá, sempre, esperando por esse momento, quando você olha para dentro e entende que é assim a complexidade da vida. E confia.

 

Como Meditar

A prática da coerência cardíaca traz muito da sabedoria milenar, das técnicas tradicionais usadas em ioga: atenção, meditação e relaxamento.

 

O primeiro estágio consiste em voltar sua atenção para o interior. Pôr de lado suas preocupações, por alguns minutos. Recuperar a intimidade com seu coração

e seu cérebro.

 

Comece inspirando, profundamente, algumas vezes. Isso irá estimular o sistema parassimpático imediatamente, e ele começará um “breque” fisiológico. Mantenha sua atenção focada na respiração até que tenha terminado de exalar, e então fique sem respirar alguns segundos antes de inspirar novamente. A questão é deixar sua mente se mover com sua expiração até que ela se torne leve e suave dentro do peito.

 

Focalize sua tenção na região do coração durante alguns minutos, depois que a respiração se estabiliza.

 

“Sinta” que você está respirando através do coração. Visualize cada inspiração e cada expiração passando por essa peça-chave do seu corpo. Imagine que cada tomada de oxigênio nutre seu corpo e cada expiração o livra dos resíduos de que ele não mais precisa. Imagine o movimento lento e dócil da respiração completa banhando seu corpo com esse ar purificador e calmante.

 

O terceiro estágio consiste em tomar consciência da sensação de calor e expansão que está se desenvolvendo no seu peito. Cuide dessa sensação e a estimule com seus pensamentos e respiração.

 

Após anos de maus-tratos emocionais, o coração é como um animal acordando de uma longa hibernação. Uma maneira de encorajar o coração é se apegar a um sentimento de reconhecimento e gratidão e deixa-lo encher o peito. Ou pense no rosto de seu filho, ou uma paisagem que você adora.

 

Durante esta meditação, as pessoas às vezes notam um sorriso manso surgir nos lábios, como se ele tivesse se espalhado a partir de uma luz dentro do peito.

Pratique todos os dias, antes de dormir, ou quando precisar durante o dia.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

Bob Clemps na Rádio Palermo

March 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Diálogos Sistêmicos

dialogossistemicoscontato@gmail.com

WhatsApp (11) 9.9909.3801

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

design by gustha.com